Selecione a página

Artigos mais Recentes

“O Grande Reset”: Uma Confirmação das “Teorias da Conspiração”?

A 3 de Junho de 2020 o Fórum Económico Mundial (FEM) anunciou a discussão sobre a necessidade de um Reset ou redefinição da economia à escala planetária. Segundo o FEM, “É urgente que as partes interessadas (stakeholders) globais cooperem na gestão simultânea das consequências directas da crise do COVID-19”.

  • Saúde
  • Religião
  • História
  • História
  • Censura

Produtividade dos Recursos Humanos em Contexto Clerical

A Igreja Católica dá-nos um exemplo de uma organização com gargalos produtivos: na Amazónia faltam srs. padres. Nota o n.º 126 c) do Instrumentum Laboris (IL) do Sínodo Amazônico: “Por falta de sacerdotes, as comunidades têm dificuldade de celebrar com frequência a Eucaristia. ‘A Igreja vive da Eucaristia’ e a Eucaristia edifica a Igreja.”

Para lá do 25

Nação dócil e crédula que somos, dada à novela, à simplificação e à infantilização, persistimos quase cinquenta anos depois dos acontecimentos de 1974 na repetição acrítica de mitos, presos a uma obsessão auto-vitimizadora e aterrorizados - aterrorizados num temor que é incompatível com a nossa natureza de povo livre - perante qualquer proposta racional de análise e re-interpretação do 25 de Abril e das suas consequências de longo prazo. Estes apontamentos pretendem ser exactamente o exercício de crítica serena de que o país continua a precisar, tremenda e urgentemente, sob pena de jamais vir a exorcizar os fantasmas que o prendem a um passado mitificado e lhe vedam a estrada do futuro.

O Primo Viriato

Na família sempre se falou do "primo Viriato" como uma daquelas personalidades misteriosas cujo aparecimento é tão súbito como fugaz. Ao jeito dos aventureiros do século XX soube viver perigosamente e radicalmente até acabar perdido nas intrincadas guerras de poder. Viriato Francisco Clemente da Cruz seria uma daquelas maldições da família, fruto produzido pelas contradições no intrincado mundo colonial português. Uma figura algo quixotesca e sonhadora, romântico e aventureiro, ou simplesmente imprudente, o homem ou o mito - é o que poderíamos perguntar. Figura paradoxal e idealista terá reunido em si um pouco de tudo.